2 de novembro de 2011

"Então, não percas o teu tempo comigo. Eu não sou um corpo que tu achaste na noite. Eu não sou uma boca que precisa ser beijada por outra qualquer. Eu não preciso do teu dinheiro. Muito menos do teu carro. Mas, talvez, eu precise dos teus braços fortes. Das tuas mãos quentes. Do teu colo para eu me deitar. Do teu conselho quando o meu lado de menina não souber o que fazer do meu futuro. Eu não te vou pedir nada. Não te vou cobrar aquilo que tu não me podes dar. Mas uma coisa, eu exijo. Quando estiveres comigo, que sejas todo tu. Corpo e alma. Às vezes, mais alma. Às vezes, mais corpo. Mas, por favor, não me apareças pela metade. Não me venhas com falsas promessas. Eu não me iludo com presentes caros. Não, eu não estou à venda. Eu não quero saber onde tu moras. Desde que tu saibas o caminho da minha casa. Eu não quero saber quanto tu ganhas. Só quero saber se ganhas o dia quando estás comigo."

3 comentários:

claudiagomes. disse...

adoro!

s disse...

Oh, está tão lindo. *-* arrepiei-me ao ler. :')

carina disse...

oh,que bonito.