21 de janeiro de 2012

Ouvir a tua voz aumentou o desejo louco de estar nos teus braços. Acreditar nas palavras do possível e ignorar qualquer mensagem da verdade, são momentos rotineiros. O desejo e as fatalidades da vida combatem-se numa forma injusta para ver quem suportaria mais, mesmo tendo a certeza de que as consequências desta intriga resultariam em amor, e aí o desejo acabaria por vencer de qualquer forma. A dor de saber que não te consigo dar aquilo que outras conseguem na maior facilidade, corrói-me por dentro. E apesar da convicção de relatar que suportarei qualquer barreira por ti, admito que sinto medo que a nossa história termine antes mesmo de começar.